Dia Mundial da Água

Com toda movimentação pelo Dia Mundial da Água, e a escassez deste recurso tão precioso no Brasil e no mundo, resolvi produzir alguns murais com meus alunos da Educação Infantil… sempre achei que a arte fosse um grande motivador de expansão de consciência, neste caso ecológica!  

Mural "Chuva de Esperança" tinta guache sobre papel

Mural “Chuva de Esperança” tinta guache sobre papel

Detalhe do mural

Detalhe do mural

Mural com a outra turma de 4 anos: colagem sobre papel contact

Mural com a outra turma de 4 anos: colagem sobre papel contact

A turminha fazendo o mural

A turminha fazendo o mural

Turminha na confecção do mural

Turminha na confecção do mural

Na torcida para que as próximas gerações seja de melhores e mais sensatos governantes e cidadãos…

Anúncios

Impressões…

O século XIX fora um século diferente, vibrante… especialmente na França. Um otimismo sobre a vida, sobre o futuro da humanidade, o conhecimento, a ciência, tomava conta da atmosfera mental daquele momento.

 

Degas

 

Leia o resto deste artigo »

Justiça e Arte

Justice - por Griffin

Sei que nem sempre, Direito e Justiça são sinônimos… mas são diversas e belíssimas as obras de arte que representam a Justiça, a Lei, a Temperança… Faço um apanhado delas, de várias épocas, por vários artistas, com estilos diversos, aproveitando que hoje é dia dos Advogados, fica como um presente, para quem resolveu abraçar essa profissão, por amor à Justiça e à Verdade. Leia o resto deste artigo »

Publicado em Amor, Artes. Etiquetas: , . Leave a Comment »

O Modernismo Romântico de Gustav Klimt

Como vocês sabem, eu não sou especialista em arte, mas fruição artística é uma das minhas maiores paixões. 

Já faz algum tempo que gostaria de compartilhar com vocês as minhas impressões sobre o trabalho do maior pintor da Viena: Gustav Klimt.  Leia o resto deste artigo »

Publicado em Amor, Artes. Etiquetas: , , . 9 Comments »

Eu amo Fotografia!!!

Não sei se já contei isso pra vocês, mas eu adoro fotografar… essa coisa de “eternizar o momento” sempre mexeu comigo. Tanto que assim que eu pude, comprei uma máquina digital, semi profissional, que é o meu xodó!

 

Não conheço muito a técnica da fotografia, ainda quero aprender. Sou uma fotógrafa intuitiva. Observo, espero o momento certo, e tiro a foto. Vou compartilhar com vocês algumas das minhas favoritas, de temas diversos: pessoas, paisagens, coisas, bichos…

 

Vale do Quilombo, em Gramado… as cores desse entardecer em 2008 estavam lindas…

 

Minha irmã e meu cunhado no pôr do sol de Lavras Novas – MG

Vista da Praia da Pipa, do terraço do Hotel onde nos hospedamos…

Vista de Biri-Biri, cidade fantasma, vizinha de Diamantina. A máquina não era minha, então foi a única foto que tirei da viagem… peguei a máquina emprestada e tirei essa foto:

Minha prima Lidia, posando para fotos de seus 15 anos:

Praia de Gamboa, deserta ao entardecer, com meus rastros e de meus amigos.

Zé e Talita em Itaipava – ES:

Talita lindíssima na praia:

Meu vôzinho Geraldo:

As irmãs Natália e Dedé dançando ballet:

Pássaro em Cabo Frio – RJ:

Tem muitas outras, mas o post ficaria grande demais!!! Vou colocar uma que fiz domingo, que é uma das minhas favoritas de todos os tempos, pela precisão e pela emoção da cena: Consegui captar o exato momento do batizado dessa lindeza! Reparem a mão do padrinho sobre o coração do bebê e que a água não chegou a torcar a pia, e ela ainda olhou para a câmera na hora… sorte!!!!

Gostaram? Depois postarei mais fotos!

Gostam de fotografias? Têm dicas pra compartilhar comigo? Comentem!!!

Alimento para Alma

Para quem ama as artes, ir à exposições é alimentar a alma. Literalmente, porque voltamos pra casa saciados, com idéias novas, e felizes. Comigo pelo menos é assim.

Hoje tive um compromisso no centro de Belo Horizonte, e dei uma passada na Fundação Clóvis Salgado – centro cultural que sempre tem exposições gratuítas. Haviam três maravilhosas.

Uma de fotografia e pequenos filmes, dos irmãos Lumière  – famosos por inventarem o cinematógrafo, que nos permitiu a tecnologia do cinema. Mais do que inventores, tenho que dizer da sensibilidade artística dos dois. Eles também inventaram o “Autocromo”, que permitiu logo no início do século XX, que amadores pudessem fazer fotos coloridas. A exposição está linda! As fotos dos irmãos, parecem os quadros dos impressionistas e pós impressionistas… Eu me emocionei!

Para quem quiser conferir:

Evento: Autocromos Lumière, o tempo da cor (imagens oriundas de Autocromos e projeções de filmes)
Local: Galeria Genesco Murta
Data: 29 de outubro a 07 de dezembro
Horário: 2ª-feira, 18h-21h / de 3ª-feira a sábado, 9h30-21h / domingo, 16h-21h
Entrada Franca
Classificação etária:
livre

A outra exposição que vi, foi de Le Corbusier. Arquiteto do século XX, artista completo, versátil, criativo. A exposição tem de tudo: pintura, desenho, escultura, maquete, fotografias… o cara era incansável! Eu não conhecia, gostei de conhecer…

Evento: Le Corbusier (arquitetura)
Local: Espaço Mari’Stella Tristão
Data: 29 de outubro a 07 de dezembro
Horário de visitação: Segundas: 18h às 21h; terças a sábados: 09h30 às 21h e domingos: 16h às 21h

Entrada franca

E por fim, a belíssima e super completa exposição ” Mulheres reais – modas + modos no Rio de D. João VI”. Muito bacana, nos dá a sensação de estar dentro de um quadro de Debret… amei! Agrada a todos: quem gosta de história, quem gosta de arte e quem gosta de moda… vale a pena!

Evento: Mulheres reais – modas + modos no Rio de D. João VI
Local: Galeria Alberto da Veiga Guignard
Data: 09 de outubro a 22 de novembro
Horário: 2ª-feira, 18h-21h / de 3ª-feira a sábado, 9h30-21h / domingo, 16h-21h
Entrada franca

Bom, ficam as sugestões… experimentem um dia desses, tirar um tempinho para alimentar a alma… vocês vão gostar!

Se você gosta desse assunto, visite também o post “Musica para Alma”: https://cleidescully.wordpress.com/2010/08/25/musica-para-alma/ creio que você vai gostar!

Starry, starry ninght!

Eu disse que compartilharia aqui algumas paixões, e disse também que arte é uma delas…

Girassóis de Van Gogh
Girassóis de Van Gogh

Quero começar com o pintor que me fez gostar de arte, o artista que me despertou: Vincent Van Gogh. O grande pintor holandês do século XX que não vendeu sequer um quadro em vida – dizem que ele chegou a pintar um quadro sobre o outro por não poder comprar telas –  e hoje é celebrado em todo mundo… (o que as vezes acho um tanto injusto, que adianta tratar a pessoa como louca em vida para louvá-la depois da morte?… incoerências da humanidade!)

Auto retrato de Van Gogh
Auto retrato de Van Gogh

A primeira vez que ouvi falar de Vincent, foi através de uma música, então, vou fazer o mesmo, compartilhando com vocês um pouco da história e obra dele, através da letra de “Vincent” – Composição: Don Mclean


van20goghcsillagos20ej20a20rhone-on

Estrelada, estrelada noite…
Pinte suas paleta em azul e cinza
Olhe pra fora nos dias de verão


Com olhos que conhecem a escuridão da minha alma


van_gogh02

Sombras nas colinas
Desenhe as árvores e os narcisos
Capte a brisa e os arrepios do inverno
Em cores da terra delineada em neve


van_gogh_vincent_woman_miners_carry


Agora eu entendo
O que você tentou me dizer
E como você sofreu por sua sanidade
E como você tentou os libertar
Eles não queriam ouvir
Eles não sabiam como
Talvez eles ouçam agora


van-gogh-vincent-giardino-fiorito-2403792

Noite estrelada
Flores em fogo com chamas brilhantes
Nuvens que giram em uma roxa neblina
Refletem nos olhos azuis porcelana de Vincent
Cores mudando de tom


noonvangogh


Campos matutinos de grãos âmbar
Rostos cansados marcados pela dor
São acalmados pelas mãos afetuosas do artista

Os comedores de Batata
Os comedores de Batata

Agora eu entendo
O que você tentou me dizer
E como você sofreu por sua sanidade
E como você tentou os libertar
Eles não queriam ouvir
Eles não sabiam como
Talvez eles te ouçam agora


O quarto
O quarto

Porque eles não podiam te amar
Mas mesmo assim seu amor era verdadeiro
E quando não havia mais esperança dentro
daquela estrelada, estrelada noite
Você tirou sua propria vida, como amantes geralmente fazem
Mas eu poderia ter te falado Vincent
Esse mundo nunca foi feito pra pessoas tão bonitas como você


van_gogh-the_church_at_auvers_1890-1024x768

Noite estrelada
Retratos pendurados em paredes vazias
Cabeças sem porta-retratos em paredes sem nomes
Com olhos que observam o mundo e não esquecem

vincent_willem_van_gogh_002


Como os estranhos que você conheceu
Os homens acabados, com roupas rasgadas
O espinho prateado de rosas sangrentas
Está esmagado e quebrado, na neve virgem


gogh_flower-beds-holland

Agora eu acho que sei
O que você tentou me dizer
E como você sofreu por sua sanidade
E como você tentou os libertar
Eles não queriam ouvir
Ainda não estão ouvindo
Talvez nunca ouvirão


Além dos quadros, Vincent trocava cartas com seu irmão, o que nos deixou um legado de informações sobre suas obras. A que mais me emociona é a explicação que ele enviou a Theo sobre o quadro “Campo de trigo com Corvos”:

“They are vast fields of wheat under troubled skies, and I did not need to go out of my way to try to express sadness and extreme loneliness. I hope you will see them soon–for I hope to bring them to you in Paris as soon as possible, since I almost think that these canvases will tell you what I cannot say in words(…)”

[“São campos de trigo tão vastos, sob o céu atormetando, que eu não sou capaz de expressar minha tristeza e solidão extremas. Eu desejo que que você as veja logo [as telas]e as leve para Paris assim que puder pois eu acho que elas conseguirão te dizer o que eu não sei expressar em palavras(…)”]

O quadro que ele pintou, para mostrar a seu irmão tamanha dor e solidão foi esse:

Campos de trigo com corvos
Campos de trigo com corvos

Certamente, depois de saber disso olhamos a obra com outros olhos..

O tão Famoso “Starry Night” foi pintado enquanto Vincent esteve num hospital psiquiátrico em Saint-Rémy e seu comportamento era um tanto erratico naquela época, devido à severidade de seus ataques. Diferente da maioria dos trabalhos de Van Gogh, Starry Night foi pintado de memória, e não ao ar livre com Vincent preferia. Isto deve explicar em parte, porque o impacto emocional do trabalho é tão mais poderoso que muitos dos trabalhos de Van Gogh no mesmo período.

O famoso "Noite Estrelada"
O famoso “Noite Estrelada”

Você sabe algo sobre a história de Vincent? Algum quadro favorito? Comente!