Impressões…

O século XIX fora um século diferente, vibrante… especialmente na França. Um otimismo sobre a vida, sobre o futuro da humanidade, o conhecimento, a ciência, tomava conta da atmosfera mental daquele momento.

 

Degas

 

Acreditava-se que as doenças seriam erradicadas, e no despertar do século XX a humanidade estivesse em perpétua paz! Nesse clima, os estilos de vida que adotamos hoje, hábitos, costumes, cultura foram se delineando. A imprensa passou a ter grande impacto sobre os fatos, e comportamentos. A população urbana superou a do campo, o turismo começou a despontar como uma atividade de status, foram inventados a máquina fotográfica: eternizando momentos, e o cinema, consequência da primeira invenção.

 

Monet

 

Nesse ambiente de vanguarda, a arte também se transmutou. Os conceitos da física que permitiram o desenvolvimento da máquina fotográfica, o desvendar do funcionamento da luz, e da visão humana influenciou um grupo de pintores a romper com as regras da arte que dominavam até então. Os chamados acadêmicos, os artistas que ditavam as conformações da arte de dentro da academia, prezavam os temas heróicos e a pintura realista estabelecida por claras técnicas de perspectiva, luz e sombra, uso das cores, entre outros.

 

O controverso e "escandaloso" - Olympia - de Manet

 

Esse novo grupo de pintores, inspirava-se na luz refletida sobre as superfícies e como a imagem a partir dessa reflexão se formava no cérebro humano. E pintavam com pinceladas soltas e coloridas, em sua compreensão quando alguém observasse o quadro, inicialmente formado por pinceladas difusas, teria a imagem perfeita formada em seu cérebro; assim como acontece na natureza.

 

Renoir - "By the lake"

 

Partindo desse princípio esses artistas buscavam cada vez mais os espaços iluminados, pintavam ao ar livre, seus temas era alegres, vibrantes, cheios de cor. Essa liberdade que tais artistas criaram para si, permitiu introduzir às pinturas novas sensações: transparências, fluidez, vibração e cores, muitas cores. Nas pinturas impressionistas, a sombra não é opaca e negra, ela também é formada por pontos de cor.

Claude Monet

 

Certamente que um movimento que rompia totalmente com as regras não foi aceito imediatamente. Causou-se com esses quadros uma grande tensão no campo de arte estabelecido na França, uma vez que essa postura nova desafiava todas regras acadêmicas.

 

 

Berthe Morrisot - grande pintora Impressionista

O próprio nome do movimento se deve a essa tensão. Em 1872, um dos grandes pintores desse grupo, Claude Monet, tendo seus quadros criticados e rejeitados no Salão de Paris – expôs paralelamente ao evento seus quadros e os quadros de seus companheiros. Devido à critica ao quadro “Impressão, nascer do Sol”, os acadêmicos ridicularizavam o movimento, chamando-os de “Impressionistas”. Nome adotado pelo grupo e título da sua exposição.

 

Impression soleil levant - Monet

 

Há quem diga, que a não aceitação em Paris seria um problema, mas foi superado pelo advento naqueles tempos dos Estados Unidos da America, como grande potência econômica. A “América” era a terra da liberdade, e precisava de novos signos, significados, arte, cultura… a novidade alimentava o espírito das nações novas. Dessa forma, o Impressionismo foi perfeitamente aceito nas Américas, e o movimento fortalecido. Diferente do que aconteceu com vários artistas através dos tempos, muitos dos impressionistas viram sua obra ser reconhecida ainda em vida, alcançaram o sucesso e conforto financeiro através da sua arte.

 

 

Mais uma beleza de Berthe Morrisot

O Impressionismo é um dos movimentos artísticos mais apreciados até hoje. Talvez por causa do otimismo que reinava no século XIX, da crença que se tinha no ser humano e na felicidade, que transparecia nos quadros daqueles artistas. Valorizava-se a simplicidade, a alegria, as festas, o movimento e deixava-se o que era desagradável, infeliz e pesado para a vida real. Não que a arte se afaste da realidade, diferentemente disso o impressionismo retratava a vida cotidiana, mas o que ela tinha de doce e feliz no momento presente e que nem sempre era captado na fruição desse instante.

 

 

Jardim Parque em Giverny - Monet


Alguns nomes importantes do Movimento:

Pierre Auguste Renoir, um dos meus favoritos, já falei dele aqui no site:

 

Almoço dos Remadores 1881


https://cleidescully.wordpress.com/2009/05/06/o-pintor-da-felicidade/

Claude Monet – as pinturas de Monet que mais gosto são as imagens de seu jardim, no interior da França.

 

Lago das Ninféias

Edgard Degas – tinha um estilo mais clássico, um dos poucos que pintavam em ambiente fechado, gostava de retratar espetáculos artísticos e a noite boêmia.

 

"A estrela"

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: