Saudades de Legião Urbana

Renato Russo faria 50 anos hoje, se estivesse aqui. Me desculpem se fico saudosa ao falar disso, mas faço parte de uma geração que cresceu ouvindo Legião Urbana. Não vou contar a história dele ou da banda. Sei que Renato foi uma personalidade polêmica, falava o que pensava, sem se preocupar com as consequências. Prefiro no entanto, falar do artista que ele foi e como ele marcou minha geração. Geração que ele mesmo apelidou de “Geração Coca-Cola”

Somos os filhos da revolução
Somos burgueses sem religião
Somos o futuro da nação
Geração Coca-Cola

Me lembro que quando era adolescente, toda festa tinha um violão e irremediavelmente a gente acabava cantando e tocando alguma música do Renato Russo. Na minha época [ok, isso soou como velhice da minha parte], mas minha geração teve o privilégio de conhecer boas bandas de rock. Era engraçado, eu me lembro que as pessoas “bacanas” gostavam de rock, e era super vergonhoso assumir que se gostava de pagode, axé, ou qualquer outra coisa muito comercial.

Renato Russo foi o grande poeta da geração que foi adolescente nos anos 80 e 90… a sua Legião não era uma banda de grandes arranjos, eram músicas simples e belas, o grande diferencial eram as letras de Renato.  A juventude das décadas que citei, tinha uma certa fama de juventude perdida, depois dos estudantes de 60 e 70 terem ido às ruas lutarem… as gerações posteriores eram consideradas “sem rumo”.  Mas Renato deu voz à esse grupo “alienado”, e dizia de nossos anseios, nossos sonhos, nossas verdades… o poeta falava do coração de cada um e de nossa coletividade.

Ultimamente, não tenho percebido mais essa chama na juventude, os questionamentos… parece que ninguém pensa na vida e seu significado, no que se quer do país, do futuro. É claro que há bons cantores, boas músicas, não posso generalizar. Mas não consigo citar um grande poeta dessa geração.

E sobre nossa geração ser “perdida”, eu creio que a Legião Urbana nos deu bom material para pensar. Vários de nós já está começando família, está se colocando no meio profissional… o que será da geração que ouviu e refletiu sobre tudo aquilo que Renato escreveu? Espero sinceramente que o saldo seja bom. Eis alguns versos que ainda me acompanham, que me traquilizam o coração, ou que me lembram da indignação que a anestesia do dia a dia me faz esquecer, ou que simplesmente me falam que o amor é possível, é belo e simples…

“Disciplina é liberdade, compaixão é fortaleza, ter bondade é ter coragem” – Há Tempos.

Adoro essa frase [e a música toda!]. Como com tanta simplicidade conseguiram falar da luta diária para ser bom? Ser disciplinado, não é estar preso a convenções bobas, ao contrário: nos ajuda a alcançar objetivos e sermos livres para conquistar o que queremos. Ser compassivo num mundo de egoístas, nos fortalece, e ter bondade, em tempos que tudo é lícito para passar por cima do outro, é ter muita coragem mesmo!

“E os dois comemoraram juntos, e também brigaram juntos, muitas vezes depois e todo mundo diz que ele completa ela e vice-versa, que nem feijão com arroz. Construíram uma casa há uns dois anos atrás mais ou menos quando os gêmeos vieram. Batalharam grana, seguraram legal a barra mais pesada que tiveram.” Eduardo e Mônica

Reza a lenda, que essa é uma história real narrada por Renato. Só um artista de verdade consegue transformar o cotidiano em arte de uma forma tão linda. Quem ao ouvir essa canção, não se identifica? É tão verdadeira e simples… “Quem um dia ira dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?  E quem irá dizer que não existe razão?”

“Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, sem amor, eu nada seria…” – Monte Castelo

Os textos são de Paulo e Camões. Mas eu sempre achei genial unir uma fala tão divina e outra tão terrena para falar do mesmo assunto, o Amor. Genial, porque o amor realmente tem inúmeras facetas, do erótico ao platônico, chegando ao Universal… então, os dois textos se casam como contrapartes perfeitas de uma mesma realidade.

“Vamos celebrar a aberração de toda a nossa falta de bom senso. Nosso descaso por educação. Vamos celebrar o horror de tudo isto com festa, velório e caixão. Tá tudo morto e enterrado agora já que também podemos celebrar a estupidez de quem cantou essa canção… Venha! Meu coração está com pressa, quando a esperança está dispersa só a verdade me liberta. Chega de maldade e ilusão, Venha! O amor tem sempre a porta aberta e vem chegando a primavera, nosso futuro recomeça. Venha! Que o que vem é Perfeição!…” Perfeição

Esta é uma das minhas favoritas. São tantas acusações, com realidades que conhecemos muito como brasileiros, e quando pensamos que a esperança acabou, a música termina desse jeito tão belo, falando da esperança do porvir…

“Porque esperar se podemos começar tudo de novo? Agora mesmo, a humanidade é desumana, mas ainda temos chance. O sol nasce pra todos, Só não sabe quem não quer”  – Quando o Sol bater na Janela do seu Quarto.

Um dos meus detalhes favoritos nas letras de Renato é o fato de que apesar de denunciar e mostrar as falhas da nossa sociedade, ele sempre falava das possibilidades de mudança, de recomeço… eu sempre achei que acusar sem dar uma outras perspectiva não resolve nada…

Vou encerrar por aqui…  relatando um sonho que tive esse ano: estava  eu assentada na relva de um parque, um lugar que não conheço, assistindo um show que era exatamente do Renato Russo.

Acordei com essa passagem da música na cabeça: “Até bem pouco tempo atras, poderíamos mudar o mundo! Quem roubou nossa coragem? Tudo é dor, e toda dor, vem do desejo de não sentirmos dor…” fiquei com essa reflexão em mente muito tempo…eu acho que isso é a alma da arte, e é o que torna um artista imortal –  não importa quanto tempo passe, ele ainda te fala profundamente ao espírito.

Em se tratando de Legião Urbana, a lista seria interminável, mas vou deixar para vocês me contarem se em algum momento essas músicas fizeram parte da sua história. Me contem?

 

Advertisements

6 Respostas to “Saudades de Legião Urbana”

  1. Priscila Says:

    Cleide, fiquei emocionada vendo o seu post sobre o Legião!! Amo!

    Comecei a gostar cerca de um ano antes do Renato morrer… era a época da fita k7, lembro de mim tirando a letra inteira da “Faroeste Caboclo” indo e voltando na fita, rsrs… idos de 1995. Os meninos da minha sala tinham banda Legião cover, era uma época realmente especial. Fiquei bem triste qdo ele morreu.

    Ah, meu marido ama Legião (é a banda predileta dele, acredita? – não é só no gosto por AX que combinamos, rs), e todo ano, no aniversário dele, dou um CD do Legião, desde que começamos a namorar 6 anos atrás (ele já está quase com a coleção completa, rs). Pra vc ter noção como ele gosta, a música que ele entrou na igreja, junto com minha sogra, no nosso casamento, foi “Monte Castelo”, de arrepiar!

    Legião é uma banda que fico às vezes um tempo sem ouvir, mas depois sempre acabo ficando com saudades e pegando um dos CDs, dependendo do meu estado de espírito do período. Além das músicas mais críticas à estrutura social (que continuam atuais até hoje, infelizmente), adoro quando ele fala de amor, da forma mais simples e linda possível. Por isso, um dos meus CDs favoritos é o “Descobrimento do Brasil”, é maravilhoso, suave e intenso ao mesmo tempo! E ontem mesmo ouvi “Strani Amore”, do CD dele em italiano. Que falta fazem artistas como Renato Russo e Cazuza (que eu também adoro!).

    Pra terminar, deixo uma frase da música “Um dia perfeito”, que tenho levado muito pra minha vida ultimamente:

    “São as pequenas coisas que valem mais, é tão bom estarmos juntos, tão simples… um dia perfeito!”.

    Bjos

    • Rodrigo Says:

      Cleidoca adorei su blog estarei sempre aqui e é verdade Renato faz falta sim 🙂
      e depois visita o meu ele fala mais sobre dança mas as vezes falo de outras coisas tb rsrsrsrs agora eu sou o Ka….. rsrsrsrsrrs bjos

  2. Saulo Moreira Says:

    “Quando as estrelas começarem a cair
    Me diz, me diz pra onde é que a gente vai fugir?”

    Ainda que brincando de Nostradamus vejo profundidade nessa fala. Vejo que ele enxergou que seus ídolos, referencias e deuses eram falíveis. E, tipo assim, que será dos homens sem seus mitos, mestres e guias? Normalmente elegemos como meta as estrelas, sejam elas pessoas, coisas ou capacidades. Elegemos coisas que brilham fora de nós… assim mais cedo ou mais tarde as estrelas começam a cair. Começam a deixar de ser o que eram e as vezes, somente as vezes, ficamos perdidos.

    “Vai ver que não é nada disso
    Vai ver que já não sei quem sou
    Vai ver que nunca fui o mesmo
    A culpa e toda sua e nunca foi
    Mesmo se as estrelas começassem a cair
    E a luz queimasse tudo ao redor
    E fosse o fim chegando cedo
    E você visse nosso corpo em chamas
    Deixa pra lá”

  3. Carol Palmieri Says:

    Não me esqueço quando vovó desencarnou.. a primeira musica que ouvi assim que sai na rua foi Pais e Filhos.. e o trecho que tocava era justamente o que dizia: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã…”

    Beijos, adorei o post!
    Salve Renato!

  4. Fabiana Says:

    Muito bom seu bloq, parabéns. Amo legião Urbana.

  5. ito Says:

    muito bom gosto vc,parabens ,o mundo se divide em duas partes ,antes da legiao e depois da legiao!!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: