Tributo ao meu vôzinho

Geralmente não gostamos de imaginar a dor da despedida, a gente nem gosta de aventar a hipótese de nos separamos de quem a gente ama… e quando a pessoa vai ficando idosa, dá um aperto no coração, poque você sabe que ninguém fica pra sempre no mundo. Mas a gente só sabe a medida da dor, quando se despede das pessoas que mais ama.

Ontem eu me despedi do meu avô querido, o único avô que conheci: pai da minha mãe. Meu vozinho Geraldo já estava com bem mais de 60 anos quando eu nasci, então eu me lembro dele desde sempre com aquela carinha de vô… velhinho, magrinho, sempre bem arrumado, limpinho.

Eu e o vô no Zoo de Belo Horizonte

A gente fica querendo adiar a partida dos nossos velhinhos, mas quando eles ficam frágeis e doentes pensamos se não é egoísmo segurá-los conosco. Deus foi muito misericordioso com minha família, porque meu avô viveu 97 anos muito saudáveis, e quando adoeceu e começou a sofrer, partiu… acho que os anjos protetores da nossa família devem ter considerado que seria um castigo, prender na cama uma das pessoas mais ativas que conheceram…

Com mais de 80 anos, vô Geraldo ainda pegava serviço de servente de pedreiro… tomava o ônibus e visitava cada filho, tomava café, contava um caso… mais perto dos 90 ele perdeu a visão, e isso o limitou muito, a gente pensava em como era para uma pessoa tão independente, ficar assim quieto de uma hora pra outra.

Vô na minha primeira comunhão

A morte é sábia, e faz a gente refletir, pensar, expressar nossos sentimentos mais íntimos, avaliá-los. A gente corre tanto atrás de vários objetivos e metas, acaba parando pouco pra dizer às pessoas que nós as amamos…  Entretanto, apesar de muitos defeitos e falhas, a minha família inteira: primos, tios, irmã, pais nunca falhou em mostrar ao vô o quanto a gente o amava. A despedida ontem foi tranquila, respeitosa e cheia de amor… um amor infinito por uma pessoa que foi das mais suaves que conheci nesse mundo. E acabou por conquistar tantos amigos.

 


Fico pensando no exemplo que o vô deixou… uma história de amor que durou a vida toda, pela nossa querida vó, e por todos nós. Eu nunca ouvi ninguém reclamar do meu avô… e não estou dizendo isso fazendo política, porque ele morreu. Ficou patente na sua despedida o amor nos olhos de cada um. Ele era incapaz de tratar mal alguém… não lembro dele bravo. Para mim sempre pareceu um menino da cabeça branca… adorava comer doce, e quando não achava doce, comia açúcar puro mesmo! Foi lúcido até o fim, lembrava casos de quando era menino, narrava-os todos com detalhes. Contava piadas, era espirituoso… falava bobagens inocentes… amava os genros e às noras como seus próprios filhos. Meu pai sempre o teve como uma figura de pai. Esse desprendimento da consanguiniedade é atitude apenas das pessoas que guardam em si muito amor.

Eu, Nádia e vô

O amor que nos ensina sempre. Desde criança, eu me encantava com as histórias de amor dos contos de fada… tão lindas, tão fácil conquistar o principe ou a princesa e ser feliz para sempre. Tão romântico! Mas as vezes é na despedida que a gente aprende a lição do amor, se souber observar. Meus avós foram casados 73 anos… isso que é “até que a morte os separe”. E eu, tolinha e romântica sempre achava graça da vó ralhar com o vô “Esse velho chato!” “Vai dormir velho!”  “Ô velho que não aguenta nada!” e ficava pensando que o amor já tinha se esgotado. Ontem eu aprendi que o amor não é um sentimento… é uma decisão! A decisão de ficar pra sempre junto com o outro… na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando e respeitando até que a morte os separe… nunca essas palavras do padre nas inúmeras cerimônias que assisti, fez tanto sentido.

Vó Laura e Vô Geraldo

Quando se é jovem não se tem a medida do que é estar com uma pessoa pra o que der e vier. Meus avós, provavelmente se conheceram meninos… a vó tinha 18 anos quando casou. Tiveram 10 filhos, moraram na roça, lutaram pra não passar fome. Ajudaram a criar netos, juntos passaram pela perda de filhos, dos pais, dos avós e até de netos… eu não tenho envergadura moral, pra narrar, sequer imaginar o que é isso… o que é ser companheiro de alguém que se conhece a vida toda. Quando eu vi minha avó chorando ontem, dizendo que a sua razão de viver morreu… eu entendi que amar é mais do que dizer palavras bonitas. O amor é uma semente, que você planta quando escolhe o seu companheiro, e vai cuidando da planta, sendo que os frutos é Deus que dá.

Apagando as velinhas no aniversário de 96 anos!

Observar isso me deu um senso de responsabilidade enorme… a minha família não tem tradição ou dinheiro, mas tem um legado de amor infindo. A gente fantasia e deseja que quer viver um amor para a vida toda, como se isso fosse algo que não existisse, mas então, eu percebi que meus avós o viveram… e seguindo o exemplo, meus tios e meus pais em toda maioria construíram relações sólidas, porque tomaram a decisão de amar, como meus avós tomaram… agora cabe a nós: netos e bisnetos, honrar essa herança… que mais do que valores passageiros, é herança Divina de exemplo de amor.

Netos e netas com vó Laura e vô Geraldo... faltam alguns, a Vanda que está na foto já se foi...

Muito do que eu sinto e aprendi com meu avô, nem dá pra ser escrito… porque quando a pessoa é tão presente e a gente pode viver, aprender e amar a ela, o ensinamento fica impresso na nossa alma, e a razão não alcança tudo… mas eu espero que meu avô saiba disso, aonde quer que ele esteja – e eu creio que ele está no céu, porque viveu a vida de um homem justo – que ele saiba que seu exemplo simples e humilde no dia a dia, construiu um amor imorredouro em nosso coração!

E que a gente nunca esqueça disso…

Uma canção de meu amigo Ricardo Marçal, tem os versos que lembram muito a atitude de meu avô perante a vida. Encerro com eles:

“Óh irmão Sol, quero aprender, a deixar só luz onde eu passar. Óh irmã árvore, preciso aprender, a sempre aceitar, a amar bem mais quando sofrer. Óh irmã água, preciso transpor, toda minha mágoa, e crescer com a dor… Óh irmão vento, vou me entregar, as mãos de Meu Pai que está nos céus! Óh irmãs flores, quero embelezar, sempre o meu labor e eternizar… o meu amor!!!”

Anúncios

23 Respostas to “Tributo ao meu vôzinho”

  1. Victor Costa Says:

    Eu nao tenho nem palavras para expressar… pq vc com sua sabedoria disse tudo!
    Lindas palavras!
    Que nosso pai maior possa nos dar o conforto necessario e que possamos seguir o grande exemplo dele.

    • Daiana Flávia Says:

      Belíssimas palavras!
      Nesse tributo você conseguiu expressar tudo que nós, bisnetos, netos, filhos, de sangue ou de coração estamos sentindo nesse momento tão difícil. A tristeza de não ter mais nosso vôzinho aqui conosco e o orgulho de ter esses grandes exemplos de vida em nossa família.

      Beijos!

  2. Priscila Says:

    Oi Cleide,

    Poxa, ainda ontem deixei um recado no seu orkut, e nem sabia da morte do seu avozinho… ;-(

    Deixo uma poesia pra você…

    “A VIDA É UMA PASSAGEM

    A Vida é uma passagem, que tem de ser bem levada.
    Pra se fazer homenagem, a quem a leva abençoada.
    Para quem estende a mão, e a quem abre os braços.
    Quem tem firmeza e compaixão, no carinhoso abraço.

    A Vida é uma passagem, pra ser com toda dignidade.
    De esclarecedora mensagem, a instruir de humanidade.
    Para a gente se dedicar, a causa que seja realizadora.
    Para ao máximo se aplicar, numa atitude salvadora.

    A Vida é uma passagem, Pra ser toda ela trabalhada.
    Que nos desperte coragem, e exija a alma abençoada.
    Pra fazer o que for de bem, não perder a oportunidade.
    Fazer bem sem ver a quem, e Ter a melhor afinidade.

    A Vida é uma passagem, não pode ser para futilidade.
    Cada um no seu personagem, na ética e honorabilidade.
    Tem de ser grandiosa, não pode pra mediocridade ceder.
    Viver é pelo mais ditoso, é a doação e o nosso merecer.

    A Vida é uma passagem, e ninguém pode se deixar iludir.
    É para a melhor aprendizagem, para realizar e construir.
    Tem de ser pela igualdade, de todo mundo se dar a mão.
    Ter vergonha e fidelidade, ser de partilha e de comunhão.

    A Vida é uma passagem, pra gente ao próximo amar.
    Como uma camaradagem, pra no amor nos aprofundar.
    Ter toda simplicidade, pra Ter a verdadeira grandeza.
    Só casando com a humildade, que há coragem e beleza.

    A Vida é uma passagem, pra ser levada com valor.
    Não pode Ter vadiagem, e sim justiça, direito e amor.
    Tem de ter entendimento, posicionamento e construção.
    É pra construir sentimento, é para abrir o coração.

    A Vida é uma passagem, para atingir a eternidade.
    Como bendita viagem, que nos faz Ter generosidade.
    Pra gente viver com nobreza, e nos iniciar na concórdia
    Pra gente Ter boa vontade, e também toda Misericórdia.

    Azuir Filho”

    Realmente, a vida é uma passagem… mas alguns conseguem fazer esta passagem se tornar mais bela, como seu avô. Descanse em paz!

    Bjo

  3. Josi Says:

    Prima… Sem palavras…!
    Lindo de mais !!

  4. Lidia Says:

    Primaa! Mais uma vez sem palavras !
    Muito Lindo!

  5. Josi Says:

    Oi, Cleide…

    Muito lindas as suas palavras! Me emocionei bastante qdo as li.

    Eu espero que o seu avô esteja ao lado de Deus nessa hora pq pelo visto, ele passou a vida caminhando pelos caminhos Dele.

    Bjos!

  6. Rafaelly Says:

    Cleide…muuuuuuuito linda a sua homenagem ao seu avô. Com certeza dá pra ver q ele amou muito e foi muito amado tb…E no final da vida o q importa é isso né…e tb ver q se fez o melhor q pôde.

    Que Deus dê a você e a sua família o conforto e a serenidade nessa hora.

    Um abraço forte!(gostaria de poder dar pessoalmente)

    • cleidescully Says:

      Raffinha! Obrigada pelo apoio… mesmo de longe os amigos de verdade estão perto!
      Se Deus quiser, logo nos abraçaremos pessoalmente!

  7. starbuck Says:

    Cleide,

    poucas vezes li palavras tão lindas de amor e doçura (e eu já li muito nessa vida)…

    fiquei emocionada … e grata por vc partilhar uma história tão linda como essa do seu avô e sua família.

    que Deus esteja com vcs…. sempre.

    • cleidescully Says:

      Que isso Star!
      Grande honra te ter por aqui, ainda mais conhecendo o quanto você escreve bem…
      Obrigada pelo carinho!

  8. iva Says:

    Cleide , assim eu morro… q lindas palavras, só esta faltando uma música caipira, né? bjos

  9. mari Says:

    poxa vida Cleide, nao tenho como expressar, mto menos transmitir a emoçao q tomou conta de mim a cada palvra lida acima. mto sabias suas palavras q uso como minhas se assim permitir.
    o vo nao eh meu parente de sangue mas sempre foi e sempre sera um grande exemplo em minha vida a ser seguido. Acho q vale mto mais a consideraçao, o carinho, o amor que tanto eu sinto qnto ele demonstrava por mim, na fase em q passei com ele, na casa dele. Fase em que eu estava criando e moldando um carater q seria definitivo. E acho q nao so ele mas todos dessa familia q me acolheram e me deram tanto amor, tem grande parcela de ajuda nessa construçao. sou mto grata a todos vcs. Criei um amor mto forte por todos e com o vozim nao seria diferente. uma excelente pessoa, um verdadeiro exemplo de dignidade, de HOMEM mesmo. Saudades imensas sentiremos dele!

    • cleidescully Says:

      Mari, lindas palavras… nós também amamos você e te temos como prima!
      Obrigada pela visita!

  10. Yanne Says:

    Cleide! lindo sua homenagem ao seu avó…quase não consegui terminar de ler,pois as lágrimas me sufocavam, perdi o meu quando tinha 6 anos,poucas coisas me lembro dele, mas existe uma frase que ele me dizia que me persegue por toda a vida….” sempre que eu estava triste por alguma coisa,ele me falava “eu não estou aqui?” e sei que isso é real,pois o amor vai além dos limites da matéria fisica.

    Que Deus cuide de vc e sua família!
    bjs!

    • cleidescully Says:

      Yanne, pois é… quem a gente ama está sempre presente, mesmo que de longe ou de outros planos né?
      Bjs!

  11. harley Says:

    muito legal, cleide.
    se ha um lado de lá, seu avo deve estar orgulhoso pela homenagem. abraço. h.

  12. ALINE Says:

    Cleide, que lindo !!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Aline

  13. Marco Says:

    Querida amiga,

    Fiquei muito emocionado ao ler tudo que escreveu…Lembrei dos meus avós, gente corajosa que viveram em outro mundo, e conseguiram vencer…

    Na verdade o que fica são estas lembranças boas que sempre irão nos acompanhar…

    Beijos,

    Minha irmã.

    • cleidescully Says:

      Pois é amigo… o exemplo deles marca para sempre não é? Não dá pra esquecer quem a gente amou tanto.
      Obrigada pelo carinho!

  14. Saulo Moreira Says:

    Bom… vou cantar aqui mesmo!

    Vento… leva a minha mente
    Livre… como folha ao léu
    Faz-me sentir
    Alvorecer interior
    Muito além de mim
    Posso me ouvir
    Nuvem… que eu possa repousar em ti
    Deitar minhas idéias
    Retificar conceitos
    Sobre novo pensamento
    Aves do Céu permitam-me voar
    Por entre a multidão interior
    Conhecendo então o Espírito que Sou
    Do átomo ao Ser Astral
    Sede Perfeitos… Filhos do Pai
    Ascendentes da senda da Luz
    Da Luz que ilumina meus olhos de ver
    Meus ouvidos de ouvir percebem-me surgir
    Num grito interno
    De descobrimento do Céu
    Que existe em nós….
    Céu….
    Em nós!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: