Casais Favoritos – Parte III – Melhores cenas de amor do cinema

Ainda no clima de semana dos namorados, vou compartilhar com vocês uma seleção das cenas mais românticas do cinema. O critério de seleção foi o meu gosto – hehehehehehe! Sintam-se à vontade para concordar, discordar, acrescentar outras…

Me lembro que era bem novinha, uns 13 anos, quando assisti “Ghost” no cinema. Achei lindíssimo, e triste… voltei pra casa melancólica – mesmo sendo pré adolescente. A cena de amor no início do filme, ao som de Unchaid Melody, é perfeita!

Outro momento inesquecível, é a declaração inesperada de amor, que Mark Darcy faz à Bridget Jones. De uma forma desastrada e prozaica, no final de um jantar em que todos casais presentes humilharam a protagonista, por seu uma solteira com mais de 30, todos esperam que Mark, o advogado bem sucedido,  diga algo desagradável, e ele simplesmente diz que apesar de Bridget se vestir como sua mãe, beber e fumar o tempo todo, dizer bobagens em público, ele gostav dela do jeito que ela era… lindo!  Para saber mais sobre Darcy e Jones, entre aqui:

http://cleidescully.wordpress.com/2010/01/14/homens-que-deviam-existir-no-mundo-real%e2%80%a6-mr-darcy/

“Um lugar chamado Notting Hill” segundo um amigo meu, é a versão de “Uma linda mulher” para os homens. Bom, não sei se é, mas eu gosto muito. Na verdade gosto mais de Notting Hill que Pretty Woman.  A cena mais tocante, além do finalzinho ao som de “She” – Elvis Costelo, é a cena em que a poderosíssima atriz interpretada por Julia Roberts, adentra à livraria do pacato e simples personagem de Hugh Grant e diz que o ama. Ele então diz não à ela, porque já tinha sofrido muito, e seu pobre coração não aguentaria mais uma decepção. Ela então diz que a fama é algo muito ilusório e que no final das contas, ela era apenas uma garota, na frente de um garoto esperando que ele a amasse…

O vencedor do Oscar de 2009 – “Quem quer ser um milionário?” Conta uma história que nos leva a uma viagem pela India, e por quê? Para que o protagonista encontrasse sua amada perdida desde a infância. A cena da estação de trem é liiiinnnda!!!

“Um amor para recordar” é um dos filmes mais românticos que já vi, e favorito de muitas adolescentes… difícil escolher uma cena, mas a mudança do rapaz e o desejo de realizar todos sonhos da mocinha, um a um, é muito bonito. O desejo nº 1, que era casar na mesma capela em que os pais dela casaram, foi perfeito.

“Dirty Dancing”  é um clássico, sem dúvidas o melhor filme de dança de todos os tempos. A cena em que Baby declara seu amor é linda… “o que eu tenho mais medo, é de sair deste quarto, e não sentir nunca mais em toda minha vida, o que eu sinto, quando estou com você!”

“Orgulho e Preconceito” é um clássico literário, o filme é igualmente impecável. Fotografia perfeita, trilha sonora envolvente, e um elenco muito talentoso, tudo muito fiel à obra original. A declaração de Fitzwilliam Darcy à Elizabeth, é impactante no livro, porque é inesperada. No filme aliaram a dramaticidade da cena à uma chuva torrencial, ficou perfeito! Se quiser saber mais sobre o filme e livro, entre aqui:

http://cleidescully.wordpress.com/2010/01/27/orgulho-e-preconceito-%e2%80%93-o-romantismo-atemporal-de-jane-austen/

“Memórias de uma Gueixa” é um dos filmes mais perfeitos no que diz respeito à produção que já vi. E a história tem todos elementos para tornar um filme emocionante. Mas o ponto mais alto é o final. Depois de amar secretamente por toda vida  o mesmo homem, sem que ele sequer soubesse, e se ver perdida no mundo e nas esperanças, a protagonista descobre enfim, que durante todo aquele tempo ele também a amou silenciosamente e a protegeu… até o mais durão chora na cena final.

A cena do primeiro beijo de Abelardo e Heloísa, em “Em nome de Deus” é linda… Abelardo: “E esse beijo, estava predestinado?” Heloísa “Desde o início dos tempos!”

Já faz muito tempo que não assisto “Caminhando nas Nuvens”, belo filme, tem um clima de sonho, é como se nós, juntamente ao protagonista, passássemos um tempo caminhando nas nuvens. Várias cenas são perfeitas, mas a cena em que a geada ataca a plantação de uvas, e todos correm para aquecê-las, usando asas para dispersar fumaça é especialmente etérea. A cena das mulheres amassando as uvas, também é linda. Reparem na luz vespertina e na poesia das imagens…

 

Esses filmes são sugestão de minhas amigas Josi e Nay, o texto é da Josi. Before sunrise/sunset. “são duas pessoas que se encantam uma pela outra sem a necessidade de que algum grande acontecimento tenha os levado a isso.  Eles simplesmente se olham e não conseguem mais se separar e passam a se mostrar um para o outro de forma profunda, sem máscaras ou mentiras ou essas coisas batidas de filmes de romance e/ou comédia romântica. É como um encontro de almas…. não almas gêmeas, mas almas que se reconhecem e se admiram por aquilo que o outro é.  Eles se separam no final marcando um encontro para alguns meses depois. 10 anos depois, eles se reencontram e descobrem que o encontro anterior não deu certo por puro acaso e, mesmo que suas vidas tenham seguido em frente e muita coisa tenha mudado dentro e fora deles, eles ainda reconhecem aquela essência um no outro e novamente não resistem a continuar bebendo um do outro. Eu acho esses filmes fantásticos. Não consigo lembrar de outro filme mais romântico do que este. Duas pessoas que se amam e se veem unicamente por conta delas mesmas… Não há outra história além deles dois. Não é como aqueles filmes em que algo tem que acontecer para que um veja que não pode mesmo viver sem o outro. Aff… Nenhum dos dois precisou mudar em nada. Lindo é pouco.”

9 semanas e 1/2 de amor foi um grande sucesso dos anos 80. Não é um romance tradicional, relata a história de um casal que vive um caso tórrido que dura 9 semanas e meia. Os dois vão se envolvendo em jogos eróticos até desgastarem sobremaneira a relação. A história não é lá grandes coisas, e o protagonista John chega a ser irritante: imaturo, confuso, autoritário. O grande diferencial do filme é a beleza do jogo de luz e sombra das cenas de um leve erotismo, que mais sugere que mostra e a trilha sonora. Destaco a cena em que os dois estão se conhecendo, embalada pelo grande sucesso “Slave to love”.

Eu poderia ficar aqui citando milhares de cenas, porque isso não acaba, cada cena que coloco me lembra outra… mas vou deixar para vocês… se sugerirem muitas faço outro post só com suas participações.

About these ads

21 Respostas to “Casais Favoritos – Parte III – Melhores cenas de amor do cinema”

  1. Tatiana Souza Says:

    Perfeita a sua seleção! Dessa vez nem tenho que acrescentar! Concordo com todas! Só não vi o “Andando nas nuvens”, então não sei se tem boas cenas, mas as demais são todas realmente lindas…
    :*

    • Cleide Sousa Says:

      Tati, esse filme é um sonho, pena que quase não o vejo em locadoras… se você achar pra comprar, pode comprar de olhos fechados… é belíssimo, o protagonista é o lindo Keanu Reeves

  2. Nayara Says:

    Poxa, ainda faltam tantos casais lindos!!!

    Jesse e Celine de Before sunrise/Before sunset

    Nikita e Michael de la femme Nikita

    Amelie e o carinha cujo nome esqueci de O fabuloso destino de Amelie Poulain

    • Cleide Sousa Says:

      Nay! Bem lembrado… vou atualizar o post com os comentarios seus e da Josi sobre Before sunrise [eu vi mas não sou tão fascinada como vocês, então, os seus comentários são mais apaixonados que os meus!].

      Nikita eu desconheço…

      Eu também adoro Amelie e seu amado… mas eu já os coloquei em outra lista lá no início do blog!Pensei em colocar de novo, fiquei em dúvida… acho que vou acrescentar…

    • Cleide Sousa Says:

      Nay! Atualizei o post… vc viu?

  3. Nayara Says:

    Richard e Khlan de Legend of the seeker

    O casal do filme A Múmia

    • Cleide Sousa Says:

      Nay, Adoro o casal do filme “A Mumia” – quando a mocina era interpretada pela Rachel Weis… agora o casal de LOTS, a Josi ficou de comentar e não comentou, e eu não conheço a história… eles iam entrar na lista de casais das séries.

  4. lewynn Says:

    Falta Serendipity ==

  5. Nayara Says:

    OI Cleide, agora que vi sua atualização, thanks!!!

  6. josi Says:

    Ixi… vergoinha…. E vc me colocar o texto tal qual eu fiz num impulso???

    OK… Ok… kkkkkkkkkkkk

    Jesse e Celine são lindos mesmo!

    Qto a LOTS… sim… não tive tempo de falar sobre eles… se vc tiver oportunidade de conhecê-los, saberá o qto eles são fantásticos! ;-)

    Beijos!

  7. Jade Says:

    Cleide quando vi a imagem da declaração da Bridget e do Darcy, achei que você não ia colocar a original, mas colocou. Em Orgulho e Preconceito essa declaração me surpreendeu(no livro, pq vi primeiro), quem esperava algo assim vindo do “orgulhoso” Darcy? Depois dessa declaração comecei a devorar o livro(mas do que antes) e acho que no filme eles conseguiram pegar bem o clima da coisa…adoro o ator que faz o Darcy, ele é perfeito.

    Lots *.*
    Acho que o mais importante no casal de Lots é mesmo eles não podendo estar juntos, eles assumem que gostam um do outro.

    amei o casal da múmia tbm, desde a primeira vez que vi fiquei encantada com os dois, por um tempo foi o filme que mais vi. Ela era corajosa, inteligente, curiosa, engraçada. e Ele um cara que você não dava nada,mas no decorrer do filme vai crescendo e mostrando o quanto é fofo.

    Um filme que acho lindo Também é “Para sempre cinderela” além de recriar o conto(tirando a magia) você têm uma ciderela inteligente, não só uma pricesa(sei que para a época não seria assim..mas quem liga?). E Além do filme ter ótimas atrizes com a Drew Barrymore e Angélica Huston, têm uma mensagem incrivel no final, que acho linda, o filme acaba com uma frase mais ou menos assim “não importa se eles foram felizes para sempre, o importante é que viveram”.Então o filme tem aquele “Q” de contos de fadas, porém não totalmente, pq não importa o felizes para sempre e sim o viver

  8. Priscila Says:

    Cleide, seus posts estão cada vez melhores! Destaco especialmente:

    “Um lugar chamado notting hill” – linda a cena que ela diz que somente é uma garota, pedindo pra que um garoto a ame, e ele vai atrás dela na coletiva, e eles se casam e ela aparece grávida no final, mostrando que o mais importante da vida são as coisas mais simples;

    “Dirty Dancing” e “Ghost” com o Patrick Swayze, ai que saudades dele;

    “Caminhando nas nuvens”, suave e terno e ao mesmo tempo forte e intenso, uma linda história de amor, além de ser um romance de época, gosto muito.

    Todos os posts do dia dos namorados ficaram 10!

    Bjos

    • Cleide Sousa Says:

      Oi Pri!
      Que bom que você gostou!!!
      Obrigada pelas participações constantes e pelos elogios!
      Feliz dia dos namorados pra vc e seu marido!

  9. FERNANDA Says:

    OLHA PESSOAL PQ VC NAO COLOCARAM O CASAL DE CREPUSCULO….. A CENA DO BEIJO E MUITO LEGAL PQ NAO FAZ DA CENA O MOMENTO “HEROTICO” DO FILME E APENAS O MOMENTO MAIS BONITO UM BEIJO MUITO APAIXONADO……………..È O Q EU ACHO PELO MENOS……………VALEU!!!!!!!!!!!!!

  10. sueli Says:

    Cleide – Oi, adorei o que vi aqui (minha primeira vez).
    Quem sabe me ajude a encontrar um filme com um casal muito bacana que vi há muito tempo, é um casal apaixonado que por indecisão do noivo ele se casa com outra, já no primeiro ano de casamento eles percebem que não foi o certo e marcam o primeiro encontro, a partir da aí eles se encontram todos os anos no mesmo chalé. O filme é lindo, até que ficam bem velhinhos e os repectivos conjuges morrem…adoraria ver este filme novamente acho que no final eles não acabam junto. Durante a trama a gente acompanham a evolução dela, a cada ano, como mãe, com as tendências da moda, em um dos anos ela vem caracterizada de hippie, acho que era a Jane Fonda.
    Quem sabe alguém viu e se lembra!?!?
    Adoraria se enviar por e-mail.
    obrigada

  11. Jucilene Says:

    uma linda mulher . esse filme é tudo …(*.*)

  12. claudia Says:

    Oi Cleide, como vai? Tem um filme que é lindo e me emocionou muito que é o Rei e Eu, ou The King and I. Gosto muito da versão mais nova com a Judie Foster, mas quando vi a mais antiga com Yul Brynner. Que coisa mais linda e triste a percepção do verdadeiro amor. Não sei se você já assistiu, é de 1951. Amei.
    Quero parabenizá-la pelo blog cheio de coisas boas.

    • Cleide Sousa Says:

      Claudia, eu amo “Anna e o Rei” é um dos meus favoritos também, faz tempo que não vejo… sempre choro quando o imperador fala com Anna, que agora entendia como os ocidentais podiam amar uma só mulher!

  13. Priscila Says:

    Cleide, lembrei de um filme que acho maravilhoso (é um dos meus preferidos), e esqueci de comentar anteriormente, “As pontes de Madison”, no qual a linda da Meryl Streep faz Francesca, uma dona de casa pacata, porém de certa forma oprimida em seus sonhos e desejos pelo marido e pelos dois filhos. Qdo eles viajam por 4 dias ela conhece um fotógrafo da Nacional Geographic, Robert, que está na região fotografando as pontes e belezas locais, vivido pelo Clint Eastwood (que tb é diretor do filme). Eles se apaixonam perdidamente e ficam juntos pelos 4 dias, mas Francesca acaba ficando em um sério impasse entre ir embora e viver sua grande paixão, mas também abandonar a família… O filme começa do presente pro passado (os filhos dela lendo o diário no qual ela relata todo o ocorrido). É uma história belíssima (na primeira vez que o vi eu e meu marido terminamos de ver o filme chorando de soluçar…), fora a cenografia e a beleza da região. Recomendo!


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 357 outros seguidores

%d bloggers like this: